Como é o futebol nas High-School nos Estados Unidos

O esporte é parte fundamental no currículo de todos os estudantes nos Estados Unidos. Se destacar na prática de um esporte, além da garantia de uma generosa economia de dinheiro para a família, vem a segurança de uma boa colocação em uma das centenas de universidades americanas, que estão sempre em busca dos melhores atletas para fortalecer suas equipes. Milhares de bolsas de estudos são distribuídas todos os anos para os atletas de ponta que praticam as mais variadas modalidades esportivas, algumas delas impensáveis para nós brasileiros. Boliche, Golf, Tênis, Lacrosse, Rodeio, Badminton, Tiro, Equitação e Ciclismo estão entre os esportes que podem dar ao estudante o benefício de receber uma das disputadas e desejadas “Athletic Scholarships”.

924709_girls_bowling_49265

Alguns esportes como o futebol americano, o basquete e o baseball, fornecem naturalmente mais bolsas de estudos que os outros, pois como são os “queridinhos da America” possuem um maior número de equipes por universidade, e por isso, acabam assimilando mais atletas para disputar os fortíssimos torneios universitários.

O “nosso” futebol, ainda não é um dos esportes que mais recebe bolsas de estudo nos Estados Unidos, mas a cada ano que passa, cresce muito o número de bolsas que são concedidas para quem deseja conseguir uma bolsa em uma universidade americana, através da pratica do esporte Bretão .

LEIA TAMBÉM: As maiores diferenças observadas por brasileiros nos Estados Unidos

As High-Schools, que são equivalentes as escolas de Ensino Médio no Brasil, são o vestibular dos atletas que desejam conseguir uma “Athletic Scholarships”. Se destacar nos treinos, jogos e torneios é fundamental para que quer ser visto por um “Scout”, que são os olheiros, sempre presentes nas High-Schools em busca de jovens revelações.

rtc_010_cropped-660x330

Todos os anos, milhares de jovens atletas se inscrevem nos Tryouts “peneiras” das High-Schools na busca por uma vaga em uma das equipes de todos os esportes praticados em cada escola. Cada escola tem seus esportes, isso varia muito de acordo com a região do país, suas preferencias locais e o clima.

LEIA TAMBÉM: Os 10 maiores obstáculos para brasileiros que mudam para os Estados Unidos

As High-Schools montam duas equipes de futebol, o time principal chamado Varsety, formado pelos jogadores que mais se destacaram nos Tryouts e o JV, ou Junior Varsety, que seria o equivalente ao time “B “ dos clubes de futebol. Essa seleção não é fixa e os atletas podem mudar de time mesmo durante o decorrer da temporada. Cada time seleciona em média 18 atletas para cada equipe, o que significa que apenas 36 meninos e 36 meninas, são selecionados para compor as equipes de futebol a cada ano. Um número baixo, quando se sabe que podem passar de 500 o número de alunos inscritos nesses Tryouts em algumas High-Schools.

34486472

As vagas nos times são muito concorridas, não só por causa das bolsas de estudo, mas também por que a vida de atleta em uma equipe da High-School é uma experiência única. O aluno ganha respeito, destaque e em algumas situações pode virar um ídolo local, pois o esporte praticado nas escolas é levado muito a sério nos Estados Unidos. Jogos escolares são transmitidos ao vivo pelas emissoras de TV locais. Os estádios ficam cheios nos dias de jogos, mesmo com ingressos cobrados, o público comparece. Pois todos sabem que a renda da bilheteria é revertida diretamente para ajudar a custear o time. As escolas possuem campos, alguns de grama natural, outros com grama sintética, que são geralmente compartilhados com o futebol americano. E não existe conflito de datas na utilização, pois as temporadas são em épocas diferentes.

131106soccer-mg007web

Assim como no futebol profissional, o futebol disputado nas High-Schools possui um calendário bem definido, com jogos amistosos antes do início das competições, premiações e possibilidade de disputar o campeonato estadual e o nacional, caso o time conquiste o direito a vaga. Times que vencem esses torneios recebem muitas homenagens na escola e um forte reconhecimento da mídia, podendo virar manchete de jornais e de programas esportivos na TV.

GRAU CURRICULAR DAS HIGH SCHOOLS AMERICANAS

              ANO e DESCRIÇÃO            

IDADE

9 º Ano ( Freshman )

14-15

10 º Ano ( Sophomore )

15-16

11 º Ano ( Junior )

16-17

12 º Ano ( Senior )

17-18

Assista nosso vídeo:

Por RALF FURTADO

VIDA EUA: Você sabe o que é uma Soccer Mom?

VIDA EUA: As maiores diferenças do futebol infantil nos Estados Unidos e no Brasil

 

Leia Também
Vídeos

No Torneio da Florida 2016 entrevistamos os técnicos Ney Franco e Adílson Batista, que falam com o Futebol EUA sobre sua visão do mercado de futebol dos Estados Unidos. A aínda, o jogador Vitinho do Internacional e o Youtuber Fred B12

Inscreva-se em nosso Canal do YOUTUBE !!
Curta nossa página do FACEBOOK !!


Apresentação: Ralf Furtado
Câmera: Jorge Lameiras

Durante o show do cantor Daniel na Fun Fest da Florida Cup 2017, falamos com ex zagueiro do Corinthians e do Flamengo, Fabio Luciano sobre sua participação no jogo das Estrelas, que irá reunir grandes astros do futebol e artistas brasileiros.

Inscreva-se em nosso Canal do YOUTUBE !!
Curta nossa página do FACEBOOK !!


 

Apresentação – Ralf Furtado
Câmera – Jorge Lameiras

 

O Clube São Paulo derrotou o Corinthians nas cobranças de pênaltis após um empate de 0x0 no tempo normal. Em partida truncada e cheia de lances duros, o São Paulo teve as melhores chances do jogo e acabou campeão da Florida Cup 2017 em um resultado merecido

Inscreva-se em nosso Canal do YOUTUBE !!
Curta nossa página do FACEBOOK !!


 

Apresentação – Ralf Furtado
Câmera – Jorge Lameiras

O Orlando City jogou em casa contra o Chicago Fire, time do atual do alemão Bastian Schweinsteiger, meio-campo da seleção da Alemanha campeã mundial da Copa do Mundo do Brasil de 2014. O jogo terminou 0x0 com o Orlando jogando grande parte da partida com 1 jogador a menos, devido a expulsão injusta, ainda no primeiro tempo, do zagueiro Rafael Ramos, após uma falta aos 26 min do primeiro tempo.
Falamos com a líbero da seleção brasileira do vólei, Camila Brait e com Gustavo Brasil, diretor técnico da R9 de Orlando

Inscreva-se em nosso Canal do YOUTUBE !!
Curta nossa página do FACEBOOK !!

Apresentação: Ralf Furtado
Câmera: Karina Furtado

 

Voltar