Las Vegas United acaba antes de começar…

Jogadores brasileiros foram iludidos por empresário e tiveram que recorrer ao apoio das famílias para conseguir voltar para casa; time já não existe mais juridicamente e acumula dívidas nos EUA




A idéia de montar o clube veio de um encontro para um café, entre Márcio Granada e o empresário César Bordinhão. Durante esse encontro, Marcio propôs uma sociedade para um novo empreendimento. Uma semana antes, Márcio havia pedido para César investir US$ 10 mil em um novo negócio. César disse que não podia, pois não queria investir nenhum dinheiro em nenhum negócio, apenas tempo, trabalho e  conhecimento, já que não tinha dinheiro para investir. Ele concordou, dizendo que nesse caso iria lhe dar uma porcentagem menor na participação do clube.

Com as participações acertadas, foram tirar a licença. Chegando lá, preencheram os documentos e fizeram a aplicação. Havia uma taxa de US$ 200 a ser paga pela aplicação e Marcio disse que não tinha o dinheiro e pediu que César pagasse, pois seria reembolsado dois dias depois. Até hoje esse valor não foi pago e isso faz mais de um ano. Mas a licenca foi tirada e os dois passaram a constar como donos do novo clube.

LEIA TAMBÉM: Ibrahimovic recusa proposta de 6,8 milhões de euros do LA Galaxy

Márcio Granada, trouxe 18 atletas do Brasil para montar a nova equipe, que pelo acerto, tinham que pagar entre US$ 2,5 mil e U$ 5 mil (de R$ 8 mil a R$ 15 mil) pela vaga no clube. Marcio colocou todos para viver em apartamentos. No contrato com os atletas, ele prometia uma espécie de “intercâmbio cultural” com duração mínima de três meses e hospedagem inclusa pelo tempo de contrato em apartamentos mobiliados. Porém na prática, além de não receberem verba suficiente para se alimentar, ainda tinham que se indispor com o empresário, para que ele pagasse dívidas referentes à moradia.

O aluguel dos apartamentos estava no nome de Bruna Venceslau, esposa de Márcio, e durante nos últimos dois meses que estavam em Las Vegas, quatro avisos de falta de pagamento e duas ordens de despejo foram recebidas pelo time. No dia 5 de julho, a última ordem resultou em uma ação de despejo, com uso de força policial. Os quatro atletas remanescentes, já tinham passagens aéreas para voltar para o Brasil, mas a ordem de despejo acabou acontecendo antes da data da viagem. Os garotos só conseguiram um local para ficar, graças à ajuda de funcionários do condomínio, que ficaram sensibilizados com a história.




LEIA TAMBÉM: Ele tem 16 anos, lança a 94 milhas por hora, vale US$ 1,5 milhão e é do Brasil !!!

A dívida dos apartamentos não foi a única deixada por Marcio em Las Vegas. Vários cheques sem fundo foram distribuídos a parceiros e investidores, o time deixou um saldo devedor de quase US$ 2,5 mil com a United Premier Soccer League (UPSL). Segundo o Gerente de Operações da UPSL, Manuel Gomez, o valor é referente ao não-pagamento do salário de juízes e o aluguel dos estádios para as partidas e treinos.

Antes de ir para Las Vegas, Márcio Granada foi gestor do Corinthians USA, time de Fontana, na Califórnia, que atualmente joga pela National Premier Soccer League (NPSL). O fundador do time, Josias Montegan, conta que o empresário foi indicado ao cargo por um amigo em comum e assumiu a gestão do clube em 2015.

Segundo Josias, Márcio começou a cobrar dos jogadores que ele recrutava no Brasil. Mas a parceria com o Corinthians USA realmente chegou ao fim, quando Márcio começou a fechar contratos sozinho, sem levar o assunto ao conhecimento de Josias.

Com os problemas, Josias decidiu acionar seu advogado para cancelar a contratação do Márcio. Foi nessa época que Márcio mudou-se para Las Vegas, levando consigo alguns jogadores do elenco do Corinthians USA para atuarem no novo time que estava fundando na cidade – o então Las Vegas City (posteriormente ele seria expulso do time e fundaria o Las Vegas United).

LEIA TAMBÉM: Dagoberto acerta com time de São Francisco

O Las Vegas United esteve inclusive no Brasil, em junho de 2016, para realizar a sua pré-temporada antes do iníco da UPSL. A equipe fez dois jogos treinos contra equipes que disputam a Copa Paulista, o Juventus e o São José dos Campos FC.


VIDA EUA: Você sabe o que é uma Soccer Mom?

VIDA EUA: As maiores diferenças do futebol infantil nos Estados Unidos e no Brasil

Leia Também
Vídeos

O time de Orlando perdeu de 3×1 para o Miami FC em sua partida de estréia na US Open Cup 2017, com três gols do brasileiro Stefano Pinho, que pela priemeira vez em sua carreira como jogador profissional, consegue fazer um Hat-trick.

Curta nossa página do FACEBOOK
Inscreva-se em nosso Canal do YOUTUBE

Na primeira participação na US Open Cup, o Orlando City perdeu para o Miami FC pelo placar de 3×1 no estádio do Orlando. O time do Kaká jogou praticamente com a equipe reserva, poupando grande parte dos titulares para uma importante partida da MLS no final de semana.

O grande destaque da partida, foi o brasileiro Stefano Pinho que marcou os três gols do clube de Miami e “pode pedir música no Fantástico” garantiu a vitória do Miami FC.

Stefano Pinho está no Estados Unidos desde 2015, tendo jogado anteriormente no Fort Lauderdale Strykers e no Minnesota United. Em 2014 jogou por empréstimo no futebol Finlandês, atuando uma temporada pelo MyPa.  Essa essa primeira temporada no Miami FC, os três gols marcados nessa partida, provavelmente deixarão o atacante em uma situação bem confortável dentro do clube.

Apresentação: Ralf Furtado
Câmera: Bruno Furtado

 

Léo Azevedo, um dos maiores técnicos do tênis brasileiro, nos acompanhou na visita ao Centro de Tênis da USTA em Lake Nona na Florida. Conhecemos um pouco do que que é considerado o maior complexo do esporte no mundo, com um total 102 quadras, em um vestimento de mais de $60 milhões de dólares.

Inscreva-se em nosso Canal do YOUTUBE !!
Curta nossa página do FACEBOOK !!


 

Apresentação: Ralf Furtado
Câmera: Bruno Furtado

 

O Orlando City jogou em casa contra o Chicago Fire, time do atual do alemão Bastian Schweinsteiger, meio-campo da seleção da Alemanha campeã mundial da Copa do Mundo do Brasil de 2014. O jogo terminou 0x0 com o Orlando jogando grande parte da partida com 1 jogador a menos, devido a expulsão injusta, ainda no primeiro tempo, do zagueiro Rafael Ramos, após uma falta aos 26 min do primeiro tempo.
Falamos com a líbero da seleção brasileira do vólei, Camila Brait e com Gustavo Brasil, diretor técnico da R9 de Orlando

Inscreva-se em nosso Canal do YOUTUBE !!
Curta nossa página do FACEBOOK !!

Apresentação: Ralf Furtado
Câmera: Karina Furtado

 

O reconhecido técnico de futebol Marcos Machado acaba de inaugurar sua nova Academia de Futebol em Orlando, a GGS. O espaço com 6 campos de grama natural fica em Ocoee e já está realizando tryouts com uma grande quantidade de novos atletas.
O diretor técnico da Golden Goal Sports é Marconi Machado, filho e braço direito de Marcos Machado.

Inscreva-se em nosso Canal do YOUTUBE !!
Curta nossa página do FACEBOOK !!


Apresentação: Ralf Furtado

Voltar