Brasileiro se integra aos EUA melhor que outros imigrantes, diz estudo


A comunidade brasileira nos Estados Unidos é mais qualificada e está mais integrada que a média dos outros imigrantes no país, segundo um levantamento feito por dois pesquisadores brasileiros a partir de dados do governo americano



Os brasileiros nos EUA –que seriam cerca de 1,3 milhão, segundo estimativa do Itamaraty– têm uma taxa de desemprego menor (5%) e uma média de renda domiciliar maior (US$ 55.463 por ano) não só em relação a todos os imigrantes, mas também aos americanos.

Os dados são de 2014, os mais atuais disponíveis, e foram compilados a partir do American Community Survey, do Censo americano, pelos pesquisadores Álvaro de Castro e Lima e Alanni Barbosa de Castro para o livro “Brasileiros nos Estados Unidos: Meio Século Refazendo a América (1960-2010)”.

LEIA TAMBÉM: Novas medidas de segurança, complicam ainda mais a vida dos passageiros

A publicação, editada pela Fundação Alexandre de Gusmão (Funag), do Itamaraty, será lançada nesta sexta (7) em Brasília, junto com 16 guias do ministério sobre empreender no exterior.

Para Castro e Lima, o perfil da comunidade brasileira não mudou tanto desde 2014. “A realidade é a mesma, porque essas características da população como um todo mudam devagar”, disse à Folha, por telefone, de Boston.






Os brasileiros, segundo o levantamento presente no livro, têm maior nível educacional que a média de todos os imigrantes: 46% têm ensino médio completo e superior incompleto e 30% se formaram no ensino superior, contra 35% e 23% dos demais.

“É a diferença entre uma imigração de classe média baixa, como vinha sendo a brasileira, e a do resto da América Latina, que é uma imigração mais rural, com um grau de educação mais baixo”, diz o autor.

A participação na força de trabalho, de 71%, também é maior entre os brasileiros, inclusive na comparação com os americanos, que registram 63%. A maioria trabalha como empregado do setor privado (69%), mas o índice de autônomos (25%) é maior que entre todos os imigrantes (12%) e americanos (9%).

LEIA TAMBÉM: Mudança de comportamento nos jovens afeta mercado imobiliário

Para o pesquisador, é evidente que o brasileiro está mais integrado no mercado de trabalho, mas isso não se reflete nas áreas social e política. “Só agora é que os brasileiros estão dando os primeiros passos na integração política, com candidatos a vereador e prefeito –o que é normal, porque é uma imigração muito nova”, diz.

Os autores mostram a diferença entre o perfil das comunidades nos cinco Estados que reúnem 63% dos brasileiros no país: Flórida, Califórnia, Massachusetts, Nova York e Nova Jersey.

Os dois primeiros reúnem uma população brasileira mais velha, com a Flórida tendo também os mais altos índices de desemprego, junto com Nova York e Nova Jersey. É nestes últimos, no entanto, que os brasileiros têm maior renda, seguido da Califórnia.

NOVO FLUXO

Castro e Lima destaca que, desde 2013, há um novo fluxo de brasileiros, mais qualificado, em direção aos EUA, motivado pelas crises política e econômica e pela violência urbana. “Mas ainda é muito cedo para saber se é um novo fluxo migratório ou se só são as pessoas que saíram agora por causa da crise e depois vão voltar”, diz.

LEIA TAMBÉM: PF suspende emissão de passaporte por tempo indeterminado

Apesar da qualificação dos que chegam, muitos não conseguem formalizar a documentação para trabalhar em sua área de formação. Para alguns, o empreendedorismo pode ser uma solução. Tendo isso em vista, o Itamaraty redigiu guias com regras de cada região para os brasileiros que têm essa intenção.

Neste primeiro lançamento, serão 16 volumes, não só de Estados americanos, mas também de países como Alemanha, Itália e Canadá, que estarão disponíveis no site da Funag, assim como o livro sobre os brasileiros nos EUA.





VIDA EUA: Como morar barato nos Estados Unidos

VIDA EUA: Os 10 maiores obstáculos para brasileiros que mudam para os Estados Unidos

Por Geografia News

Leia Também
Vídeos

Como funciona o Auto Atendimento nos Estados Unidos. Canal EUA mostra que o “Self Checkout” é a forma mais comum de efetuar suas compras, você escolhe o produto e depois, você mesmo faz o pagamento no caixa de auto atendimento

Inscreva-se em nosso Canal do YOUTUBE !!
Curta nossa página do FACEBOOK !!


Apresentação: Ralf Furtado
Câmera: Jorge Lameiras

Canal EUA esteve acompanhando o primeiro evento da BABC no IDrive Nascar em Orlando. O evento contou com a presença de importantes representantes de diversos grupos sociais e políticos, que se uniram para trocar experiências, fortalecer negócios e ajudar indivíduos e famílias que necessitam de suporte ou informações em sua vida nos Estados Unidos.
Falamos com a Presidente do Conselho da BABC, Amy Litter e com a fundadora do People Who Make a Difference, Marcia Romero

Inscreva-se em nosso Canal do YOUTUBE !!
Curta nossa página do FACEBOOK !!

Apresentação: Ralf Furtado
Câmera: Bruno Furtado

A Florida Cup organizou um incrível evento que reuniu grandes feras brasileira do futebol e do automobilismo. Com a presença do piloto Rubens Barrichello, do ex jogador Rivaldo e do Youtuber Fabio Brazza que fez um RAP para o Futebol EUA durante o evento chamado no Brasil de Torneio da Florida.

Inscreva-se em nosso Canal do YOUTUBE !!
Curta nossa página do FACEBOOK !!

Apresentação: Ralf Furtado
Câmera: Jorge Lameiras

 

 

Futebol EUA foi até Lakewood Ranch, na Flórida, acompanhar a partida entre as seleções Sub 17 do Brasil e dos Estados Unidos. Falamos com o Vinícius Jr, jogador revelação do Flamengo que aparece como grande estrela desse evento. O jogo fez parte do torneio Nike International Friendlies 2016. O torneio ainda contou com a participação das seleções da Turquia e de Portugal. Falamos também com o técnico Carlos Amadeu e com o Coordenador Erasmo Damiani nesse muito bem organizado evento patrocinado pela Nike.

Apresentação: Ralf Furtado
Câmera: Bruno Furtado

Inscreva-se em nosso Canal !!!
Visite-nos no Facebook: https://www.facebook.com/futeboleua/

Assista o Vídeo:

Voltar